Aonde vai você, PCdoB?

12 de fevereiro de 2011 § 2 Comentários

Na época da eleição, vi um homem andando sozinho lá pras bandas da rodoviária da Capital, carregando nos ombros uma bandeira do PCdoB. Lembrei da minha infância quando participei de algumas carreatas do PT, meio sem saber direito o que era aquilo. Uma época em que PT e PCdoB ainda levavam as pessoas às ruas.

Nessa época, seria difícil imaginar que, um dia, aconteceria o que aconteceu dia 9: o PCdoB decidiu aliar-se ao DEM. Os comunistas vão participar duma futura Secretaria da Copa de 2014 e justificam a improvável união dizendo que o Kassab está planejando uma mudança de legenda. Afinal, trocar de legenda praticamente faz de Kassab um esquerdista.

Não faz muito tempo, discutiu-se o novo código florestal. O assunto ficou sob o comando do PCdoB, com Aldo Rebelo. Com um comunista tomando a frente teríamos um cenário contrário aos interesses do agronegócio, não? Não. Rebelo seguiu religiosamente as vontades dos ruralistas que devem ter descoberto que a esquerda não é tão má assim.

Nossa esquerda visivelmente é um poço de bondade: perdoou seus antigos inimigos, também aqueles que descendem da Ditadura Militar e os recebeu de braços abertos. É só ver o irmão maior do PCdoB: o PT é tão amigo do Sarney que até esqueceu de seus próprios membros. Nesta eleição, impôs o apoio à candidatura de Roseana Sarney ao governo do Maranhão, mesmo que alguns dos petistas tenham sofrido nos tempos que o pai dela governou o estado. A esquerda é tão boa de coração que perdoa a maldade dos outros.

Realmente já faz muito tempo que os petistas iam bravamente às ruas, levando orgulhosos suas bandeiras que eram símbolos de luta e ética. Foi-se essa época em que nem se cogitava apoiar Collor ou Sarney. Onde ninguém poderia imaginar que a candidata petista seria recebida na mansão de Dona Lili Marinho. Uma época na qual PT e PCdoB jamais iriam contra o MST.

Lembro que, quando  eu era pequeno, achava que Lula era um semideus. Via as pessoas emocionadas ao falar dele, como se nele estivessem depositadas todas as esperanças. Parecia que, se um dia Lula chegasse ao poder, veríamos um verdadeiro projeto de esquerda sendo posto em prática – e isso me empolgava. O governo de Lula passou e agora eu já nem sei mais o que é um “projeto de esquerda”.

Parece que os esquerdistas, ficando velhos, vão mudando de ideias. Ou quando chegam ao poder. Ou quando ficam ricos. Ou tudo junto. Em agosto, Lula disse que, se eleito em 1989, teria feito bobagem. Raul Carrion, sempre presente nas filas de RU’s, votou pelo aumento do próprio salário. Até mesmo a cor vermelha ficou demodê: o PCdoB gaúcho veste o roxo da Manuela D’Ávila…

Talvez ainda seja cedo pra me preocupar com isso. Talvez eu só devesse aproveitar o ardor de minha juventude pra ser o mais de esquerda possível e, mais tarde, mudar. Sentar no trono de um apartamento com a boca escancarada cheia de dentes esperando a morte chegar.

Mas eu sequer sei o que é esquerda.

Anúncios

9 de fevereiro de 2011 § Deixe um comentário

Toda noite, a caminho do colégio, passo por um parque de diversões. Não sei como, até agora, resisti a trocar a cadeira da sala de aula pela cadeira da roda-gigante.

2009

Onde estou?

Você está atualmente visualizando os arquivos para fevereiro, 2011 em Loco de especial.